Reeducação alimentar: como começar?

reeducação alimentar

Existem no mercado da nutrição diversas dietas que prometem o emagrecimento, de forma rápida e restritiva. Essas dietas restritivas são extremamente prejudiciais a saúde, e é aí que entra o poder da reeducação alimentar. A reeducação alimentar vem com o propósito de transformar e iniciar novos hábitos alimentares, mais nutritivos e eficientes.

O objetivo da reeducação alimentar não é o pregado pelas dietas populares, como emagrecer e ganhar musculatura rápido, levando em conta as diversas complicações que a restrição de alimentos pode levar. Em contraste, veja os benefícios que a reeducação alimentar pode te promover e mudar a forma como você vê os alimentos:

Qual o objetivo da reeducação alimentar?

Dentre todos as vantagens da reeducação alimentar está a melhor compreensão do efeito da alimentação na formação do estilo e na qualidade de vida. Compreender essa interferência e que ela ultrapassa o físico; atuando também na saúde mental, é essencial para otimizar a degustação e a saúde geral. Essa mudança de hábitos, gradualmente pode sim levar ao emagrecimento e ao ganho de massa magra, o contraste é que há o objetivo de autocuidado, que vai além do estético, e é empregado de maneira saudável.

Como funciona a reeducação alimentar?

A reeducação alimentar não possui a como metodologia a restrição de alimentos e é feita gradualmente. Essa alteração na maneira de ver a alimentação, na verdade, visa a seleção e a organização das porções e refeições ingeridas diariamente.

No início, as alterações feitas na alimentação serão complicadas, uma vez que a mudança sempre gera certo desconforto. É com o tempo que os hábitos irão ser realizados de forma instintiva e serão melhor estabelecidos no dia-a-dia. Entretanto, deve se ter em mente que cada organismo reage de uma forma, e os efeitos irão depender também de como já é sua alimentação, uma vez que as alterações podem ter diferentes níveis. Quanto mais saudável melhor, então qualquer evolução conta.

Como iniciar as alterações na alimentação?

Para começar bem e com uma boa aceitação do organismo siga as seguintes orientações:

Busque por um profissional da saúde

O acompanhamento e a avaliação de um profissional, seja um nutricionista ou um médico é muito importante. Isso se deve a avaliação e análise precisa do seu organismo e de suas particularidades. A presença do especialista no processo, principalmente na adaptação, é a indicação dos alimentos essenciais a nova dieta, precavendo a deficiência de nutrientes e demais complicações.

Boa hidratação

A água é essencial para o bom funcionamento do organismo, com isso, o seu consumo vai muito além de seus benefícios. A boa hidratação atua na melhora do metabolismo, do intestino e previne o acúmulo de líquido. O indicado é o consumo de pelo menos 2 litros de água diários, sendo importante frisar que a hidratação ocorre com a água em seu estado puro. Caso queira ingerir algum tipo de líquido, opte por chás, sucos naturais, água de coco, leite, café, entre outras combinações mais naturais.

O recomendado por profissionais da saúde é levar uma garrafinha cheia para todo o lugar, deixando sempre a disposição, não dando chance para esquecimentos. Evite consumir líquidos quando estiver se alimentando, esse hábito muito comum pode atrapalhar na digestão.

Invista em uma refeição mais colorida

Muitos levam essa dica ao pé da letra, mas o indicado é que a refeição compreenda de ao menos 5 cores, especialmente a cor verde. A variedade de cores vai muito além de uma refeição mais atrativa.

Mais verduras, legumes e frutas

A variação se limita aos alimentos naturais, como as frutas, verduras e legumes, são nessas fontes que encontramos o que precisamos de energia. Vitaminas, antioxidantes, fibras e minerais são exemplos dessas fontes. Opte por adicionar ao menos 2 porções de cada divisão.

Se organize

É importante que você se organize antes de começar definitivamente, uma vez que assim você se sente mais motivado e focado em seus objetivos. Existem alimentos que não podem faltar na sua cozinha, como ovos, frutas, verduras, legumes, carnes magras (caso não possua essa restrição), e fontes alimentos ricos em carboidratos complexos. Com a organização necessária, você pode levar alimentos selecionados com você e não cair em tentações como o fast food.

Vida ativa

Vida ativa: prática de exercícios físicos/atividade física

Como já é enfatizado, para uma vida saudável é necessário se atentar não apenas aos hábitos alimentares, mas também a adesão de uma vida ativa. A prática de exercícios físicos é essencial para que os efeitos da boa alimentação sejam otimizados, ainda mais se a meta seja a perda de peso.

Além do emagrecimento percebido, há também demais benefícios como o fortalecimento dos músculos e ossos, que leva a sensação de bem-estar, o melhor condicionamento físico, e assim, um melhor desempenho nas atividades diárias. Não se limite a alimentação, para um melhor estilo de vida deve-se aliar uma alimentação saudável e equilibrada com hábitos cada mais saudáveis.

Evite industrializados

Para iniciar uma reeducação alimentar, tenha em mente que um dos pilares de uma alimentação saudável é evitar alimentos industrializados. Alimentos manufaturados possuem grande quantidade de sal, de açúcares e gordura, que são inimigos diretos de uma vida saudável. Dê preferência sempre alimentos de origem natural e sempre que puder escolher não hesite.

A importância da saúde mental

Existem alimentos que aliviam a sintomas de doenças físicas, mas também existem aqueles que possuem efeito contra doenças psicológicas. No entanto, a reeducação alimentar não se limita apenas a seleção de alimentos, e iniciar um estilo de vida saudável depende de uma série de outros fatores.

O sono, por exemplo, está diretamente relacionado a uma série de doenças psicológicas graves, e influencia também no aumento do peso e na incidência da obesidade. A ausência de sono aumenta o risco de obesidade, principalmente em crianças, então é sempre importante se atentar ao horário e a qualidade do sono. Noites mal dormidas, quando frequentes, pode influenciar o estresse, que atua no aumento do apetite de alimentos doce e salgados. O estresse pode ser controlado com práticas relaxantes, como hobbies, yoga e meditação. O sucesso da reeducação alimentar também depende do sucesso e da adesão de hábitos mais saudáveis.