Parestesia o que é: conheça sobre esse sintoma

parestesia o que é

Parestesia o que é | A parestesia é um dos principais sintomas relacionados a doenças e condições de pós-operatório.

Veja aqui tudo o que você precisa saber sobre esse sintoma, suas possíveis causas e formas de tratamento:

O que é parestesia?

Parestesia é o nome dado a sensação de formigamento, coceira, fisgadas, queimação, frio e dormência que pode comprometer as mãos, pés, pernas, braços, orelhas e até mesmo a boca. Entre outra forma de identificação da parestesia est o rastejamento da pele.

Na maioria dos casos, a parestesia é temporária, podendo as suas características cessarem gradualmente, sem que haja a necessidade de alguma intervenção.

Quando permanente, a parestesia é chamada crônica, sendo necessário recorrer o quanto antes a uma ajuda médica.

Os sintomas associados à parestesia costumam ser resultantes de danos nos nervos (neuropatia), e uma vez que contínuos são capazes de causar dormência, perda de sensibilidade, e até mesmo a paralisia, que é quando há a perda de movimento e sensação.

parestesia

Quais são as causas da parestesia?

A parestesia pode ser causada por vários fatores, estando associada de forma geral ao comprometimento temporário ou permanente de um nervo.

Entre as diferentes condições que comprometem os nervos do paciente podem ser citadas:

  • Alergia;
  • Deficiência de vitaminas;
  • Estresse;
  • Compressão de nervos;
  • Doenças cerebrais e vasculares;
  • Inflamações nas articulações;
  • Diabetes;
  • Arterosclerose;
  • Neuropatia periférica;
  • Síndrome do túnel do carpo;
  • Fenômeno de Raynaud;
  • Esclerose múltipla;
  • Encefalite;
  • Acidente vascular cerebral (AVC);
  • Artrite reumatoide;
  • Artrite psoriática;
  • Hérnia de disco;
  • Hipotiroidismo;
  • Lúpus;
  • Sarcoidose;
  • Tumores.

Quanto aos processos cirúrgicos que podem está relacionados a parestesias estão:

  • Cirurgia ortognática;
  • Cirurgia de implantes dentários;
  • Apicectomia;
  • Extração dentária.

LEIA TAMBÉM: Esquizofrenia: sintomas, riscos e tratamentos

Quais são os tipos?

Como já visto, a parestesia pode ser dividida em dois tipos principais, a temporária e a crônica.

Parestesia temporária: a parestesia quando temporária, costuma ir e voltar, aparecendo em certo tempo e melhorando de forma espontânea. É comum que esse sintoma seja percebido em episódios de pânico e casos de ansiedade aguda, na forma de dormência. Tende a ser causada pela compressão do nervo e acaba assim que a cessão cessa.

Parestesia crônica: quando crônica, a parestesia dura períodos maiores do que uma semana, sendo a consequência de uma doença ou condição crônica. Assim sendo, é um sintoma que está associado a alguma patologia mais complexa, só desaparecendo quando a sua causa principal é tratada.

Parestesia oral: além da parestesia temporária e crônica, pode ser citada a parestesia oral, que pode ser causada por procedimentos odontológicos, como a extração do siso, ou pelo comprometimento do nervo sensitivo oral. A parestesia de pós-operatório costuma causar um forte incômodo, mas que tende a passar com o tempo, enquanto a causada pelo rompimento do nervo não pode ser tratada.

tratamento da parestesia

Como é o tratamento da parestesia?

A parestesia só irá necessitar de um tratamento quando ela é crônica ou oral, já que uma vez que ela dura apenas um curto período de tempo. Além disso, não é seguida de desconfortos, fazendo com que somente seja necessário abordagens de alívio de momento.

Quando a parestesia é crônica, é necessário recorrer a um médico especialista para que seja realizado o diagnóstico adequado. Assim sendo, a patologia é identificada e o tratamento terá o objetivo de curá-la ou a condição clínica em questão. A escolha do médico e a intervenção escolhida vai depender da singularidade de cada paciente.

O uso de fármacos, repouso e fisioterapia poderão ser indicados para que os incômodos sejam amenizados.

A laserterapia, por sua vez, é uma abordagem muito indicada para o tratamento de parestesia oral, mas que também pode está presente no tratamento da parestesia crônica, atuando na regeneração do nervo por meio de uma ação anti-inflamatória.

Outra técnica que pode ser associada é a acupuntura, que por sua vez atuará amenizando os sintomas que causem algum tipo de desconforto.

Em último caso, uma cirurgia local pode ser feita para eliminar os sintomas da parestesia crônica, isso quando demais abordagens não apresentarem resultados consideráveis.

É importante que em caso de perda de sensibilidade que se evite situações de risco e que envolva obstáculos. Vale ter em mente ainda que a manutenção de bons hábitos, como a prática regular de exercícios e uma dieta alimentar saudável e equilibrada pode evitar o aparecimento de parestesias crônicas.

Mesmo que possa parecer um sintoma não grave, vale ter em mente que a parestesia pode está ligada a complicações graves de saúde. Logo, não hesite em recorrer a ajuda médica e ao acompanhamento profissional necessário.

Recommended Posts