Prótese de olho: o que é, quando é indicada e para que serve

protese de olho

A prótese de olho é uma maneira que os pacientes possuem de devolver a estética perdida pela perda de um olho.

Sendo assim, com ela o paciente pode recuperar a autoestima na hora de interagir socialmente mesmo possuindo um olho a menos.

Confira mais a respeito da prótese de olho:

O que é prótese de olho?

A prótese de olho é um dispositivo protético que oferece ao paciente a possibilidade de utilizar um globo ocular artificial no lugar do olho perdido.

Diferentemente do que se pensa, a prótese de olho não permite que o paciente volte a enxergar, sendo assim, ela é utilizada para repor o olho perdido e impedir problemas gerados pela perda desse olho.

Outra curiosidade a respeito da prótese ocular é o fato de que ela não possui um formato circular único igual muitos pensam.

Ela é feita sob medida, de modo que ela possua as dimensões que se adaptem à cavidade ocular de cada paciente.

Leia também sobre: Plano odontológico familiar

Para que serve a prótese de olho?

A prótese de olho é uma maneira de substituir o olho perdido por um artificial, porém, mesmo substituindo o olho, a prótese não é capaz de devolver a visão ao paciente.

Sendo assim, ela é responsável por devolver ao paciente a autoestima pelo fato de devolver a ele algo que ocupa o espaço que antes era ocupado pelo olho original.

Isso garante a ele a possibilidade de evitar o atrofiamento da pálpebra, que é o músculo responsável pelo fechar do olho.

A possibilidade de evitar o atrofiamento se deve ao fato de que a prótese dá ao paciente um novo motivo para movimentar as pálpebras, visto que quando sua cavidade ocular se encontrava vazia, o que fazia com que suas pálpebras ficassem fechadas na maior parte do tempo.

Além disso, ela também é responsável por manter o tamanho da órbita ocular, visto que quando ela se encontrava vazia ela acabava fazendo com que a cavidade ocular fosse diminuindo com o passar do tempo.

Como colocar uma prótese ocular?

A prótese de olho é utilizada quando o paciente perde total ou parcialmente seu globo ocular, ou seja, para utilizá-la é necessário que o paciente tenha sofrido algum tipo de dano em seu globo ocular.

Ela também pode ser utilizada em crianças que nascem com alguma deformidade na cavidade ocular a fim de prevenir que o formato da órbita ocular seja prejudicado.

Portanto, caso você se enquadre em algum desses casos, você deve buscar atendimento com um oftalmologista para que ele possa realizar o pedido da prótese.

Assim, o pedido vai para um protesista, que é o profissional responsável por desenvolver as próteses e assim que ficar pronta ele marca o retorno para que a instalação possa ser feita.

prótese ocular

De que é feita?

Apesar de muitas pessoas acharem que a prótese ocular é feita de vidro, assim como o famoso nome “olho de vidro” sugere, ela não é.

Isso se deve ao fato de que o vidro é um material muito rígido, o que poderia acabar causando danos na cavidade ocular.

Por conta disso, na grande maioria das vezes, a prótese de olho é feita de porcelana ou resina acrílica.

Além disso, caso o paciente possua alergia aos componentes de confecção da prótese, o responsável por sua confecção pode utilizar outros materiais alternativos.

A prótese também pode ser feita do globo ocular por completo, chamada de tipo cheia, assim como também pode ser apenas uma parte, chamada de lente semi-escleral ou lente escleral, sendo que esses são dois modelos diferentes.

A prótese de olho permite que o paciente enxergue novamente?

Não, a prótese ocular não garante que o paciente volte a enxergar. Desse modo, ela é utilizada puramente para evitar que apareçam problemas relacionados ao fato de ter o globo ocular danificado.

Além disso, ela é responsável por garantir que o paciente possa reganhar sua autoestima ao repor o olho ausente.

Sendo assim, ela é responsável por garantir auto estima ao paciente e evitar que aconteçam problemas relacionados à falta do glóbulo ocular.

Prótese de olho valor

Não é possível afirmar um valor fixo para a prótese de olho em todas as localidades, isso se deve ao fato de que diferentes profissionais, material e cidades conferem a ela um preço diferente.

Sendo assim, só é possível estipular um preço médio para a prótese ocular, preço o qual pode variar tanto para cima quanto para baixo de acordo com as variantes do local, profissional, tipo de lente e material escolhido.

Portanto, o preço médio da prótese de olho costuma partir de R$ 850 (oitocentos e cinquenta reais). Além disso, é importante mencionar que esse é um procedimento que é coberto pelo SUS.

Sendo assim, antes de procurar atendimento em uma clínica particular, procure por informações a respeito da cobertura pelo SUS.

Assim como a cobertura pelo SUS, essa prótese também costuma ser coberta pelo plano de saúde, o que garante ao paciente a possibilidade de economizar nesse procedimento.

Caso não possua um plano de saúde e não queria recorrer ao Sistema Único de Saúde, o paciente deve realizar uma pesquisa de preços a fim de obter o melhor valor possível na hora de confeccionar sua prótese.

Também é importante lembrar que deve-se observar a procedência da clínica, visto que ninguém quer ter problemas futuros relacionados a prótese.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!

Parestesia o que é: conheça sobre esse sintoma

parestesia o que é

Parestesia o que é | A parestesia é um dos principais sintomas relacionados a doenças e condições de pós-operatório.

Veja aqui tudo o que você precisa saber sobre esse sintoma, suas possíveis causas e formas de tratamento:

O que é parestesia?

Parestesia é o nome dado a sensação de formigamento, coceira, fisgadas, queimação, frio e dormência que pode comprometer as mãos, pés, pernas, braços, orelhas e até mesmo a boca. Entre outra forma de identificação da parestesia est o rastejamento da pele.

Na maioria dos casos, a parestesia é temporária, podendo as suas características cessarem gradualmente, sem que haja a necessidade de alguma intervenção.

Quando permanente, a parestesia é chamada crônica, sendo necessário recorrer o quanto antes a uma ajuda médica.

Os sintomas associados à parestesia costumam ser resultantes de danos nos nervos (neuropatia), e uma vez que contínuos são capazes de causar dormência, perda de sensibilidade, e até mesmo a paralisia, que é quando há a perda de movimento e sensação.

parestesia

Quais são as causas da parestesia?

A parestesia pode ser causada por vários fatores, estando associada de forma geral ao comprometimento temporário ou permanente de um nervo.

Entre as diferentes condições que comprometem os nervos do paciente podem ser citadas:

  • Alergia;
  • Deficiência de vitaminas;
  • Estresse;
  • Compressão de nervos;
  • Doenças cerebrais e vasculares;
  • Inflamações nas articulações;
  • Diabetes;
  • Arterosclerose;
  • Neuropatia periférica;
  • Síndrome do túnel do carpo;
  • Fenômeno de Raynaud;
  • Esclerose múltipla;
  • Encefalite;
  • Acidente vascular cerebral (AVC);
  • Artrite reumatoide;
  • Artrite psoriática;
  • Hérnia de disco;
  • Hipotiroidismo;
  • Lúpus;
  • Sarcoidose;
  • Tumores.

Quanto aos processos cirúrgicos que podem está relacionados a parestesias estão:

  • Cirurgia ortognática;
  • Cirurgia de implantes dentários;
  • Apicectomia;
  • Extração dentária.

LEIA TAMBÉM: Esquizofrenia: sintomas, riscos e tratamentos

Quais são os tipos?

Como já visto, a parestesia pode ser dividida em dois tipos principais, a temporária e a crônica.

Parestesia temporária: a parestesia quando temporária, costuma ir e voltar, aparecendo em certo tempo e melhorando de forma espontânea. É comum que esse sintoma seja percebido em episódios de pânico e casos de ansiedade aguda, na forma de dormência. Tende a ser causada pela compressão do nervo e acaba assim que a cessão cessa.

Parestesia crônica: quando crônica, a parestesia dura períodos maiores do que uma semana, sendo a consequência de uma doença ou condição crônica. Assim sendo, é um sintoma que está associado a alguma patologia mais complexa, só desaparecendo quando a sua causa principal é tratada.

Parestesia oral: além da parestesia temporária e crônica, pode ser citada a parestesia oral, que pode ser causada por procedimentos odontológicos, como a extração do siso, ou pelo comprometimento do nervo sensitivo oral. A parestesia de pós-operatório costuma causar um forte incômodo, mas que tende a passar com o tempo, enquanto a causada pelo rompimento do nervo não pode ser tratada.

tratamento da parestesia

Como é o tratamento da parestesia?

A parestesia só irá necessitar de um tratamento quando ela é crônica ou oral, já que uma vez que ela dura apenas um curto período de tempo. Além disso, não é seguida de desconfortos, fazendo com que somente seja necessário abordagens de alívio de momento.

Quando a parestesia é crônica, é necessário recorrer a um médico especialista para que seja realizado o diagnóstico adequado. Assim sendo, a patologia é identificada e o tratamento terá o objetivo de curá-la ou a condição clínica em questão. A escolha do médico e a intervenção escolhida vai depender da singularidade de cada paciente.

O uso de fármacos, repouso e fisioterapia poderão ser indicados para que os incômodos sejam amenizados.

A laserterapia, por sua vez, é uma abordagem muito indicada para o tratamento de parestesia oral, mas que também pode está presente no tratamento da parestesia crônica, atuando na regeneração do nervo por meio de uma ação anti-inflamatória.

Outra técnica que pode ser associada é a acupuntura, que por sua vez atuará amenizando os sintomas que causem algum tipo de desconforto.

Em último caso, uma cirurgia local pode ser feita para eliminar os sintomas da parestesia crônica, isso quando demais abordagens não apresentarem resultados consideráveis.

É importante que em caso de perda de sensibilidade que se evite situações de risco e que envolva obstáculos. Vale ter em mente ainda que a manutenção de bons hábitos, como a prática regular de exercícios e uma dieta alimentar saudável e equilibrada pode evitar o aparecimento de parestesias crônicas.

Mesmo que possa parecer um sintoma não grave, vale ter em mente que a parestesia pode está ligada a complicações graves de saúde. Logo, não hesite em recorrer a ajuda médica e ao acompanhamento profissional necessário.

Como usar o óleo de jojoba pode melhorar sua saúde

óleo de jojoba

Apesar do nome, o óleo de jojoba não é um óleo, mas uma espécie de cera líquida. O óleo é extraído da chamada planta Jojoba, um arbusto de tamanho médio que prospera em paisagens desérticas. É, por exemplo, extremamente comum em partes do sudoeste dos Estados Unidos e em partes do México. 

A árvore só começa a produzir sementes após pouco mais de cinco anos e é nessas sementes que se encontra o que hoje chamamos de óleo de jojoba. A produção ocorre por prensagem a frio onde as sementes são cuidadosamente moídas sob temperaturas controladas. 

Há também óleo de jojoba prensado a quente, mas como esse óleo foi produzido usando altas temperaturas, muitos nutrientes importantes foram perdidos no processo. As alternativas prensadas a frio são, portanto, preferíveis. 

Como usar o óleo de jojoba?

Não importa como você escolha usar seu óleo de jojoba, você pode esperar bons resultados. Você pode combinar o óleo com outros produtos naturais ou óleos vegetais e essenciais para melhorar ainda mais as vantagens naturais do óleo de jojoba, mas caso não queira, não precisa esperar muito para ver os resultados.  

Abaixo você encontrará algumas dicas de como o óleo pode ser usado, seja como está ou em conjunto com outros produtos, como os óleos vegetais, essenciais e naturais.

Na pele

Como o óleo não “mancha”, você pode usá-lo a qualquer hora do dia para suavizar as áreas ressecadas, sem prejudicar sua pele ou se preocupar com possíveis lesões.

Você pode, por exemplo, usá-lo como creme para as mãos em dias frios ou como óleo de cutícula para unhas mais saudáveis. 

Colocar algumas gotas de óleo na água do banho do seu bebê pode suavizar a pele adequadamente. Você também pode lubrificar a pele com o óleo após um banho ou duche.

Depois de barbear áreas sensíveis, o óleo de jojoba pode ser usado para suavizar a área e reduzir o risco de manchas vermelhas.

O óleo é muito bom para você que amamenta e tem mamilos doloridos. Não precisa ser lavado porque é completamente seguro para o bebê engolir.

Se você se queimou pelo sol, massageie suavemente o óleo de jojoba nas áreas irritadas para ajudar a pele a se recuperar mais rapidamente. O mesmo se aplica se você sofre de coceira e erupção cutânea ou se tiver crostas que deseja curar mais rapidamente. 

No rosto

O óleo de jojoba pode ser usado com vantagem como limpador e removedor de maquiagem, pois a cera dissolve a sujeira de forma eficaz. 

Aplique o óleo diretamente no rosto ou em um algodão úmido para remover o rímel (incluindo os à prova d’água) e outros produtos de maquiagem. 

Você também pode usar o óleo como um tratamento noturno. Depois de lavar o rosto, pegue algumas gotas de óleo e aqueça-o entre as mãos antes de lubrificar suavemente o rosto. Tenha cuidado extra ao redor dos olhos.

Para uma máscara facial suave que torna a pele suave e hidratada – misture algumas gotas de óleo de hortelã-pimenta junto do óleo de jojoba. Espalhe sobre o rosto e deixe descansar por um tempo antes de mergulhar em água morna. 

Você pode facilmente fazer uma esfoliação facial de limpeza profunda misturando açúcar de confeiteiro (o açúcar granulado tem grãos muito grandes, o que pode danificar a pele sensível do rosto) e óleo de jojoba. 

No cabelo

Se você tem cabelos secos ou oleosos, o óleo de jojoba pode fazer o truque. Um couro cabeludo seco pode recuperar sua umidade natural, enquanto a produção de gordura em um couro cabeludo oleoso pode ser neutralizada. 

Aplique o óleo em todo o cabelo (no couro cabeludo ou apenas no comprimento) e distribua com cuidado. Em seguida, cubra o cabelo com uma toalha ou bolsa para manter o envoltório quente e deixe descansar por 30 minutos. Lave bem o óleo e deixe secar ao ar. 

O óleo de jojoba também pode ser usado com vantagem para obter rapidamente o controle do cabelo fresco. Pegue algumas gotas de óleo e distribua nos comprimentos para dar brilho e brilho.

Conclusão

O óleo de jojoba tem um lugar determinado no meu armário do banheiro e provavelmente também deveria ter no seu, especialmente considerando as propriedades versáteis do óleo. Além disso, é adequado para todos, independentemente do tipo de pele e cabelo, e funciona tão bem quanto o óleo corporal quanto o óleo de bebê.

Lembre-se de escolher uma variedade orgânica e prensada a frio se estiver procurando um óleo o mais nutritivo possível. Mantenha a garrafa escura e fresca, mas lembre-se de que ela solidifica na geladeira.

Sua saúde tem muito a ganhar com os benefícios do óleo de jojoba, seja utilizando no corpo, rosto ou cabelo, seus nutrientes penetram os folículos e poros sem obstruí-los, dando mais força para o seu cuidado natural.

Como deve ser a alimentação no pós operatório?

alimentação no pós operatório

Alguns cuidados devem ser seguidos para garantir ao paciente que foi submetido a uma cirurgia, um bom pós operatório, no caso de uma cirurgia de harmonização facial por exemplo, apesar de ser um tratamento não cirúrgico, esses cuidados também são necessários.

Vejamos o cuidado que se deve ter ao realizar este procedimento e também qual a alimentação correta para garantir uma boa recuperação.

Qual a importância da alimentação no pós-operatório?

Assim como todo tipo de procedimento cirúrgico, no caso da harmonização facial a alimentação possui grande importância para a garantia de uma boa recuperação.

Ela é essencial tanto para assegurar a saúde do paciente, quanto para garantir que os resultados da cirurgia ou da harmonização, após as aplicações, sejam alcançados.

Antes do procedimento ela é eficaz para fazer com que o organismo do paciente esteja preparado para passar pelo processo.

E após a cirurgia uma boa alimentação é fundamental para garantir que o paciente esteja com o sistema imunológico saudável, garantindo a ele uma boa recuperação, resultados mais satisfatórios e uma cicatrização mais rápida.

Quais alimentos devo ingerir?

Separamos aqui alguns destes alimentos que ajudam a garantir esses benefícios na cirurgia, é o caso de:

  • Alimentos macios
  • Água
  • Peixe
  • Grãos
  • Frutas
  • Alimentos integrais
  • Líquidos

Confira de forma detalhada, os benefício de cada um desses alimentos:

Alimentos macios

Por envolver áreas do rosto, no após procedimentos no rosto como a harmonização facial evite alimentar se de alimentos duros que dificultam a mastigação, esses tipos de alimentos exigem uma movimentação brusca da boca e dentes, o que pode atrapalhar a cicatrização.

Água

Hidrate-se, essa dica é muito importante para nossa saúde em geral e em qualquer momento, porém que se faz necessária durante procedimentos cirúrgicos. A água ajuda a manter o funcionamento de todos os nossos órgãos.

Além disso, ele ajuda a diminuir os inchaços causados pela retenção de líquido, que pode acontecer durante o pós-operatório. Ela também ajuda na limpeza dos rins, que pelo uso de muitos medicamentos após a cirurgia estarão sobrecarregados.

Peixe

Os peixes são ricos em alguns nutrientes que são essenciais no processo de recuperação da cirurgia. Eles ajudam a evitar inflamações e contribuem para a cicatrização da cirurgia.

Grãos

Por em sua maioria conterem ferro, os grãos ajudam a prevenir a anemia e garantir uma cicatrização rápida, por isso, esses são alimentos que devem fazer parte da alimentação pós-operatória.

Frutas

Todo mundo sabe que as frutas são ricas em vitaminas, elas contribuem para uma boa recuperação. No caso das frutas cítricas, a presença da vitamina C ajuda na absorção de ferro, melhora a imunidade e aumenta a produção de colágeno.

Já as frutas vermelhas possuem compostos antioxidantes que ajudam na circulação sanguínea, previnem infecções e inflamações após a cirurgia.

Alimentos integrais

Por reduzirem a constipação intestinal e melhorarem a circulação sanguínea, as fibras que estão presentes nos alimentos integrais ajudam na recuperação dos pacientes.

Líquidos

Os líquidos assim como a água, ajudam na recuperação garantindo ao paciente uma boa hidratação do organismo e evitando os inchaços.

Outros cuidados que se deve manter após os procedimentos cirúrgicos

Além da alimentação, alguns cuidados colaboram para uma boa recuperação após a cirurgia. Não faça atividades físicas, para evitar o surgimento de hematomas na área em que o procedimento foi feito, é recomendado aguardar 24 horas.

Não faça massagens no local da aplicação, a área ainda está sensível e toques muito bruscos acabam machucando a pele, ao invés da massagem faça compressas de gelo, para aliviar a dor, elas também ajudam a desinchar.

Use filtro solar, após qualquer tipo de procedimento nossa pele fica sensível e suscetível ao surgimento de manchas, por isso, é importante sempre usar o protetor solar, mas as exposições ao sol devem ser evitadas após os procedimentos.

Faça uso de antioxidantes, eles ajudam a manter a pele jovem e ajudam a manter os efeitos dos procedimentos estéticos feitos.

Evite alimentos industrializados e alimentos de fast food, esses alimentos prejudicam a cicatrização e atrapalham nossa saúde prejudicando nosso sistema imunológico. Evite também alimentos com sódio em sua composição.

O sódio provoca o inchaço e colabora para retenção de líquidos, o camarão também é um dos elementos que devem ser evitados, ele possui quitosana, o que pode causar a inflamação da pele.

Além dos cuidados após a cirurgia, alguns hábitos são importantes para garantir uma boa aparência. Manter uma boa alimentação, fazer exercícios ajudam a retardar o envelhecimento que podem garantir os mesmos resultados dos procedimentos cirúrgicos.

O que é ginecomastia?

ginecomastia

Há quem pense que as mudanças no corpo só afetem as mulheres. No entanto, os homens também podem sofrer alterações hormonais que impactam sua autoestima. Uma delas é a ginecomastia.

A ginecomastia acontece quando as glândulas mamárias masculinas apresentam um tamanho fora do normal, causando uma aparência que deixa os homens desconfortáveis para participar de eventos sociais ou para ficar sem camisa em público — como na praia, por exemplo.

Por que a ginecomastia acontece?

Um dos principais fatores que desencadeiam este quadro é a alteração fisiológica, que pode ocorrer em homens de qualquer idade. Inclusive quando são bebês.

Quando os bebês estão no útero da mãe ocorre uma alta liberação de estrogênio (hormônio feminino) que pode permanecer no organismo do filho mesmo após o nascimento. Chamado de ginecomastia transitória, a condição costuma desaparecer em até 3 semanas de vida do bebê.

O segundo momento na vida do homem no qual a condição pode aparecer é durante a adolescência. O processo de desenvolvimento costuma ser o mesmo para meninos e meninas, porém, ao entrar na puberdade o organismo dos meninos passa a produzir mais hormônios masculinos. Por conta disso, ocorre a ginecomastia puberal.

O quadro aparece quando o paciente está na faixa dos 10 a 14 anos. Diferentemente do caso dos bebês, esse tipo de aumento das glândulas mamárias leva mais tempo para regredir. No geral, os meninos precisam de 6 meses a 2 anos.

Vale a pena ressaltar que é normal ocorrer o crescimento das glândulas mamárias masculinas durante a adolescência. No entanto, quando a regressão não acontece é sinal que existe outro fator contribuindo para o aumento das mamas. Logo, é essencial buscar auxílio médico para descobrir mais detalhes sobre o caso.

Durante a fase adulta o homem também pode ser acometido pela ginecomastia. Ela acontece sobretudo quando o paciente consome bebida alcoólica em excesso ou é sedentário, causando a obesidade. Os homens idosos também estão propensos à condição por conta da queda na produção de testosterona.

Quais são as causas da ginecomastia?

Além do fator fisiológico, é possível elencar outras causas para a ginecomastia. As principais são:

  • Doenças da hipófise;
  • Doenças no fígado (hepáticas);
  • Uso de anabolizantes ou de antidepressivos;
  • Uso em excesso de medicamentos com corticoides entre outras substâncias.

Qual é o tratamento da ginecomastia?

Antes de prescrever um tratamento o médico fará o diagnóstico para descobrir qual é o tipo e o grau de ginecomastia que acomete o paciente. A condição pode ser dividida em unilateral (em uma mama) ou bilateral (nas duas mamas) e classificada da seguinte maneira:

  • Grau I: pequeno e com pouca pele;
  • Grau II: moderado e com pele em excesso;
  • Grau III: grande e com bastante pele em excesso.

Após descobrir qual é a causa primária do quadro, o médico indicará o tratamento mais adequado. Em alguns casos mais leves é possível fazer um tratamento medicamentoso, porém, quando essa abordagem não oferece os resultados esperados é necessário fazer uma intervenção cirúrgica.

O cirurgião plástico pode optar por uma mamoplastia redutora, técnica mais utilizada nesses casos, ou fazer uma lipoaspiração caso o quadro tenha surgido devido ao excesso de gordura. De qualquer maneira, a cicatriz costuma ficar bem discreta e o paciente não precisa de internação hospitalar.

A ginecomastia é um problema que traz muita dor de cabeça para o homem. Contudo, com a indicação médica correta, fica mais fácil recuperar a autoestima e a autoconfiança com um procedimento cirúrgico. Para isso, é fundamental escolher um cirurgião plástico membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) com experiência neste tipo de tratamento e qualidade para oferecer o melhor resultado possível.

Enxaguante bucal: por que usar e seus benefícios

enxaguante bucal

Para manter a qualidade da saúde bucal, é necessário diversas práticas diárias, como escovação rotineira e uso de fio dental após a escovação. Entretanto, caso seja usado corretamente, de acordo com as recomendações dos dentistas, o enxaguante bucal também pode ser um item interessante dentro da rotina, impactando diretamente na saúde.

Nesse artigo, falaremos tudo o que você precisa saber sobre os enxaguantes bucais, o que são, como devem ser utilizados, por que os dentistas podem recomendar, o que eles ajudam a evitar e muito mais.

O que é enxaguante bucal?

Enxaguantes bucais são compostos líquidos muito fabricados e comercializados pelo mundo inteiro. 

O gosto, os elementos utilizados e a coloração se modificam de acordo com as ideias de cada marca e substâncias usadas, mas todos visam cumprir uma mesma função.

A escovação dos dentes com creme dental e o uso de fio dental após a escovação são itens imprescindíveis nos cuidados que as pessoas precisam ter com seus dentes. 

Entretanto, muitos dentistas recomendam o uso desses composto como elemento complementar, já que ele consegue atingir toda a região interna da boca. 

Com isso, os enxaguantes removem bactérias que estão mais fixadas ou que não foram alcançadas pelos outros itens, contribuindo para uma higienização mais eficaz e controle de inflamações, sendo ideal utilizá-lo na rotina.

Para que serve?

Os enxaguantes possuem composições antissépticas, que são extremamente importantes para a limpeza. Muitas vezes, a composição é semelhante com o próprio creme dental, mudando a rigidez, sendo que os cremes são pastosos e os enxaguantes são líquidos.

Por conta desses elementos antissépticos, os enxaguantes são excelentes aliados na limpeza de diversas áreas da boca, essencialmente os dentes e a gengiva.

Dessa maneira, o enxaguante bucal é utilizado justamente nesse sentido de complementar a limpeza após a escovação e o uso do fio dental.

Inclusive, se mostra muito interessante e benéfico para a manutenção de tratamentos dentários, como o uso de aparelho de dente, reduzindo o risco de barreira que pode ser criada com a estrutura.

Benefícios

Primeiramente, o enxaguante é um elemento acessível, que pode ser encontrado facilmente em farmácias e supermercados, facilitando a compra da população. Os custos também não são muito expressivos, o que torna o uso ainda mais fácil. 

Além disso, seu componente propicia uma limpeza completa na boca. 

Muitas vezes, quando as pessoas estão sem tempo para parar e escovar os dentes da maneira correta, a utilização de um enxaguante também pode ser a solução mantendo o hálito e reduzindo a ação de bactérias.

Por conta dessa limpeza, ele pode evitar diversos problemas estruturais para nos dentes e cavidade, tais como:

  • Cáries;
  • Tártaro;
  • Formação da placa bacteriana;
  • Ação de bactérias na língua;
  • Evita o mau hálito.

Esses problemas listados são bastante comuns em pessoas que não realizam uma limpeza adequada na boca e nos dentes, tendo que recorrer a tratamentos mais específicos para correção desses problemas. 

O enxaguante também pode atuar na redução da mudança na coloração dental. Por conta de práticas de rotina, má alimentação, falta de higiene, entre outros fatores, os dentes podem perder sua coloração, ficando amarelados. 

O enxaguante ajuda a prevenir que isso aconteça, devido a uma higienização mais profunda. 

No caso de já haver o amarelamento, por conta dos diversos fatores, as pessoas também podem procurar por sessões de clareamento dental para corrigir esse problema.

Recomendações dos dentistas

Por conta da acessibilidade e das vantagens que os enxaguantes possuem, esse costuma ser um item bastante recomendado, especialmente para adolescentes e adultos.

Muitos dos enxaguantes comercializados nas farmácias e mercados possuem, em sua composição, o álcool, e por isso não é indicado para as crianças.

Além disso, nessa faixa etária, as crianças podem utilizar de forma errada e até engolir a composição com maior facilidade, o que não é recomendado.

Entretanto, os dentistas costumam recomendar bastante para seus pacientes o uso de enxaguante dental, especialmente para quem está realizando algum tipo de tratamento nos dentes, como o uso de aparelho ortodôntico.

Nesse caso, existe uma maior dificuldade em escovar os dentes e utilizar fio dental, pois os aparelhos podem incomodar por conta desse contato direto com as escovas e com o fio, além de também dificultar o acesso adequado desses produtos.

Com isso, de modo a manter a higienização eficaz, o uso de produtos para a escovação podem ser aperfeiçoados, como uso de escovas próprias ou a implementação mais assídua do enxaguante.

Dessa forma, o enxaguante bucal é uma forma efetiva de realizar a limpeza dentária, dando maior conforto para as pessoas durante a higienização e alcançando a cavidade de forma mais ampla.

No entanto, como existem diferentes tipos de aparelhos dentários, alguns podem se mostrar mais problemáticos nesse sentido, de agir como um impeditivo se a pessoa não adaptar a escovação, como é o aparelho fixo. 

Em contrapartida, o aparelho móvel, como o próprio nome já diz, pode ser removido, ou seja,retirado sempre que necessário, facilitando a escovação e o uso do enxaguante bucal.

Dessa forma, é importante procurar pelas orientações dos seus dentistas, entendendo como deve ser usado o enxaguante, quem pode usar, qual é o melhor composto, marca mais recomendada e suas vantagens, conforme o quadro e necessidade.

Por exemplo, no caso de pessoas que têm mais facilidade em desenvolver inflamações gengivais, o uso do enxaguante precisa ser mais recorrente.

Esse complemento na limpeza é muito importante para que você cuide de seus dentes, mantendo-os mais resistentes e reduzindo o risco de queda, do mesmo modo que também possibilita um melhor uso e manutenção de tratamentos como o implante dentário, que pode ser necessário no caso de perda dental.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Qualivida Online, site no qual é possível encontrar diversas informações, dicas e conteúdos ricos sobre os cuidados com a saúde física e mental.

A importância de possuir um plano odontológico familiar

plano odontológico familiar

Ter um plano odontológico familiar é uma forma de garantir mais saúde para toda a família, diminuindo a preocupação com o bem-estar de quem se gosta e prevenindo complicações para atendimentos emergenciais e também procedimentos mais invasivos para doenças bucais.

Muitas pessoas acreditam que não existe necessidade em ter um convênio odontológico, pois deve-se ir ao dentista apenas em casos de necessidade, como quando se sente dor de dente ou acaba tendo uma inflamação. 

No entanto, cuidar da saúde bucal vai muito além disso e depende de atenção diária e acompanhamento regular.

Assim, é preciso adotar uma série de hábitos preventivos para não precisar passar por determinados problemas, como o surgimento de cáries e inflamações bucais. 

Para isso, além de cumprir com o cuidado em casa, como escovação correta, é preciso que as pessoas façam um acompanhamento regular com um profissional, como mencionado.

Portanto, muitas vezes a adesão de um plano odontológico se torna muito mais viável para aproveitar uma série de vantagens que o serviço disponibiliza, como visitas regulares, histórico mais preciso dos pacientes e até a redução de custos em relação aos tratamentos.

Afinal, ir ao dentista apenas quando acontece um problema pode trazer consequências graves à saúde bucal, afetando até tecidos mais próximos, além de demandar um maior orçamento para o tratamento, principalmente quando não há o convênio, devendo pagar por cada procedimento necessário.

Por esse motivo, neste conteúdo serão colocados alguns fatores que mostram a importância em adquirir um plano para sua família, independentemente de ser um convênio odontológico empresarial ou particular.

Prevenção

No fator preventivo, o convênio odontológico é fundamental, pois além de todos os cuidados e orientações acerca da higienização bucal, como escovar os dentes, utilizar enxaguante bucal e passar fio dental diariamente; é preciso ir ao dentista a cada seis meses.

Assim, o dentista irá acompanhar como anda a saúde bucal, fará a retirada do tártaro e aplicará o flúor na arcada dentária sempre que necessário para deixá-la mais forte e resistente às doenças bucais.

Preço

Pagar por consultas separadamente, na frequência ideal, pode sair bem mais caro do que com um convênio. 

Além disso, muitas vezes é necessário realizar um procedimento mais complexo, como a colocação de aparelho dental ou mesmo cirurgia, e o preço individual se torna mais alto, demandando uma alteração do orçamento.

Com isso, no caso do plano odontológico familiar, os valores se tornam mais reduzidos, trazendo um melhor custo-benefício se comparado aos tratamentos individuais, visto que é feito o pagamento de uma mensalidade que permite o acesso a diversos tratamentos e acompanhamento de toda a família.

Nesse sentido, pode ser interessante buscar por planos coletivos, bem como pelos empresariais, visto que quanto maior o número de pessoas que aderem ao convênio, mais benefícios podem ser ofertados pela operadora.

Situações de emergência

A preocupação com a família é algo em comum em grande parte das pessoas do mundo, portanto, o bem querer das pessoas que o cercam é fundamental para o próprio bem-estar individual e demanda o cuidado diário de todos.

No entanto, todos sabem que situações de emergência podem acontecer, devido a diversos imprevistos.

Assim, não ter a quem ou para qual local recorrer pode ser uma situação complicada e incomoda, colocando em risco as pessoas e trazendo a sensação de insegurança para todos.

Contudo, todos os planos oferecidos pelas operadoras de convênios, seja plano odonto empresarial ou particular, é obrigado, por lei, a atender o cliente em situação de urgência, independentemente do tempo de carência.

Além disso, as operadoras costumam oferecer um manual sobre as redes credenciadas e suas localizações, o que auxilia muito no momento de procurar um atendimento de emergência, localizando o local mais acessível.

Cobertura

A cobertura dos planos odontológicos é um fator extremamente importante para a família como um todo. 

Contudo, cada empresa prestadora do serviço e pacotes podem apresentar valores variados, o que demanda atenção na hora da contratação.

Uma vantagem, no entanto, é que alguns procedimentos são regulamentados pela Agência Nacional de Saúde (ANS), devendo ser disponibilizados desde os pacotes mais básicos de serviço. São eles:

  • Consulta inicial a um dentista da rede;
  • Restaurações e tratamento de cáries;
  • Tratamento para criança;
  • Aplicação de flúor;
  • Remoção de tártaro;
  • Avaliações de rotina.

Cuidar da família

Promover o cuidado para a família é algo fundamental e muito almejado pelas pessoas, e ter um plano odontológico familiar é uma forma de demonstrar isso e facilitar o acesso aos tratamentos bucais, assegurando a prevenção e uma boa saúde daqueles que o cercam. 

No entanto, não é apenas checando a abrangência do plano dental coletivo empresarial ou fazendo um plano familiar que se garante isso, apesar de contribuírem nesse sentido.

Isso porque existem formas de cuidar da saúde dos dentes em casa e essa higienização é fundamental para a saúde bucal e manutenção dos tratamentos realizados em consultório, devendo ser medidas complementares.

Uma dica para estimular esse hábito, principalmente para aqueles que têm filhos ou crianças em casa, é criar uma rotina de higienização na companhia dos familiares, permitindo um momento mais divertido e didático, aproximando as pessoas.

Por isso, é importante investir um tempo para escovar os dentes e estimular o cuidado com a higiene bucal, também encorajando e habituando aos tratamentos odontológicos, de modo a manter a saúde e bem-estar da família intacta. 

Cuidar dos dentes não é só com a escovação diária, é alimentar-se bem, manter o hábito de beber bastante água, passar o fio dental diariamente e utilizar o enxaguante bucal ao final de toda escovação.

Com isso, ao aliar os cuidados diários com a escolha de um bom convênio odontológico, é possível ter ainda mais qualidade de vida e sorrir sem preocupações com a aparência ou saúde dos dentes.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Qualivida Online, site no qual é possível encontrar diversas informações, dicas e conteúdos ricos sobre os cuidados com a saúde física e mental.

Confira o que fazer para aliviar a dor na coluna

Se você é uma pessoa que constantemente sente dores na coluna, certamente já tenha parado para procurar alternativas para aliviar esses sintomas.

Dessa forma, a dor nessa região é um problema que atinge muitas pessoas em todo mundo, onde para a graça de muitos, existem algumas coisas que você pode fazer para aliviar a dor na coluna.

No entanto, já parou para pensar que coisas são essas?

Acredite, são mais simples do que parece, e ajudará muito naquele momento em que a dor na coluna aperta.

Portanto, confira o que fazer para aliviar a dor na coluna, e relaxar esse sintoma, principalmente nas atividades do dia a dia.

Coloque uma compressa morna no local da dor

Poucas pessoas sabem, mas aquela compressa de gel ou água que vende nas farmácias, pode aliviar a dor na coluna.

Dessa forma, ela pode ajudar, uma vez que diminui o fluxo do seu sangue no local, o que ajuda a relaxar os músculos da região.

Assim, podemos dizer que ela funciona como uma espécie de analgésico, que pode comprovadamente aliviar as dores no aperto.

Logo, você pode comprar, e aplicar no lugar da dor, principalmente no final do dia, na hora de descansar.

No entanto, tome cuidado, uma vez que por muito tempo, a compressa pode queimar a sua pele.

O indicado é que ela fique pressionada no local por no máximo 15 minutos, o que já é suficiente para fazer efeito.

Fazer fisioterapia

De acordo com estudos do IBGE, 8 em cada 10 pessoas vão sentir dores nas costas, no decorrer de sua idade.

Isso mesmo, cerca de 80% dos brasileiros poderão sentir dor nas costas, o que é um número bastante alto.

No entanto, mesmo com isso, poucas pessoas acabam procurando a fisioterapia, onde consideram “desnecessário”.

Mas, é ela quem possui aparelhos, massagens e exercícios que irão trabalhar diretamente para aliviar a dor na coluna.

Sendo assim, diversos especialistas, indicam o uso pelo menos 3 vezes por semana dessa alternativa para aliviar os sintomas.

Realizar sessões de acupuntura

Infelizmente, muitas pessoas ainda tiram o mérito da acupuntura, não considerando ela como um método eficaz.

No entanto, podemos confirmar para você que sim, ela pode ser totalmente eficaz, ajudando no alívio dos sintomas.

Porém, é claro, ela por si só pode não trazer bons resultados, sendo necessário que você utilize outra forma em conjunto.

Por exemplo: acupuntura + fisioterapia + compressa antes de dormir

Portanto, diversos médicos indicam o uso de pelo menos 1 sessão por semana, para ajudar a aliviar a dor coluna.

Tomar remédios

Se a dor nas costasmantem constante e de grande intensidade, mesmo com as alternativas anteriores, pode ser necessário usar remédios.

No entanto, para isso, você precisa ir até um médico especialista em coluna, para ele avaliar o seu caso, e passar o remédio certo.

Acredite, grande parte dos casos, pode acabar sendo necessário a busca por um profissional, para realmente aliviar as dores.

Além disso, porque em alguns casos, por mais que mínimos, pode ser necessária cirurgia para correção do problema.

Então, o ideal é você procurar um médico especialista na área de coluna, para indicar e tratar do seu caso com precisão.

Considerações finais

Infelizmente, a dor nas costas é algo que atinge um grupo muito grande de pessoas.

Dessa forma, o tratamento para esse caso é necessário, principalmente porque os sintomas podem ir se agravando com o tempo.

Ou seja, pode chegar um momento em que a dor na coluna vai influenciar muito no seu dia a dia, sendo algo bastante complicado.

Teste os métodos e veja como será possível aliviar a dor na coluna.

O que é o dia mundial de combate a AIDS?

Amplamente conhecida por decorrência da sigla em inglês Acquired Immunodeficiency Syndrome (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida), a AIDS é uma doença que, atualmente, afeta milhares de pessoas em todo o mundo.

Mesmo com a realização de mensagens para a combater o seu crescimento, vemos que muitas pessoas desconhecem as formas de prevenção desta doença, o que faz com que sejam necessárias a criação de novos métodos para sua conscientização sobre os riscos de se contrair tal enfermidade.

Por sua importância, este tema deve ser debatido e difundido entre a população diariamente, porém, contar com uma data especialmente reservada para a discussão deste problema social se fez uma importante ferramenta.

Dia Mundial do combate a AIDS

Podemos perceber que, ao decorrer dos anos, muitos indivíduos entram no contexto de tal doença por diversos motivos, como a desinformação sobre os cuidados que devem ser tomados para se evitar a infecção pela mesma.

Pensando nisso, as autoridades de saúde, em um âmbito mundial, passaram a adotar estratégias eficazes de combate ao aumento do número de casos desta doença, como a criação do dia mundial de combate a AIDS.

Celebrado todos os anos no dia 1º de dezembro, e adotado no Brasil desde 1988, este dia traz consigo a possibilidade de se conscientizar a toda a população sobre aspectos como a sua prevenção, bem como evitar a discriminação social sofrida, muitas vezes, por seus portadores.

AIDS: Importância da prevenção

Assim como as demais enfermidades nas quais existe a possibilidade de métodos de prevenção, a AIDS deve ser amplamente debatida pela sociedade, visando aumentar o conhecimento popular sobre o tema.

Com isso, criar oportunidades para o debate de assuntos desta doença pode fazer com que, em um curto espaço de tempo, sejam reduzidos os casos de infecção e transmissão.

Estar atento a usar preservativos, nunca compartilhar seringas de nenhum tipo e sempre que for fazer uma tatuagem, colocar piercings e alargadores verificar se a empresa é reconhecida pela Anvisa e esteriliza corretamente seus instrumentos.

A AIDS é séria e pode levar a morte. Um usuário ao ascender um cigarro, usar cachimbos e outros acessórios do tabaco não irá se contaminar, mas ao compartilhar seringas já é bem arriscado.

Garotas de programa têm se prevenido cada vez mais ao longo dos anos, a Anvisa sempre busca orientar e fazer campanhas de prevenção contra o HIV, principalmente para quem trabalha neste ramo.

Realidade dos infectados pela AIDS

Infelizmente, facilmente encontramos relatos de pessoas que são descriminadas em suas realidades por serem portadoras de tal enfermidade, o que evidencia ainda mais a necessidade de esclarecimentos a seu respeito.

Isso porque, mesmo com a ampla divulgação dos meios de comunicação sobre o assunto, ainda encontramos situações e lugares onde as informações a respeito deste tema são escassas e muitas vezes repassadas erroneamente.

Sendo assim, para se desenvolver canais alternativos de combate ao preconceito contra pessoas portadoras de AIDS, devem ser tomadas medidas que busquem retratar o dano que tal ação pode causar na vida destas pessoas.

Conclusão

Na contramão do avanço social em relação a muitos temas, as discussões a respeito da AIDS ainda são um forte paradigma a ser quebrado dentro da realidade de diversas regiões mundo afora.

Neste sentido, alternativas como a criação de um dia especialmente direcionado ao amplo debate sobre este tema podem ser vistas como um alento, principalmente por pessoas que sofrem pelo fato de portarem esta doença.

Para tanto, este texto teve por missão tornar nítida a importância de se ampliar os conhecimentos que devemos ter sobre esta data, bem como os reflexos positivos que esta discussão pode ter sobre a sociedade.

Cansaço mental e esgotamento: como identificar

Cansaço mental

Com a correria do dia-a-dia, problemas relacionados à saúde mental estão cada vez mais frequentes. As várias responsabilidades e compromissos diários fizeram com que o nosso cérebro se “lotasse” e assim como o físico, sentisse uma espécie de fadiga.

O cansaço mental atinge 98% dos brasileiros, segundo dados do Ibope. Com sintomas que são algumas das motivações para que serve paracetamol, pode influenciar a ocorrência do esgotamento e de distúrbios mentais como a depressão.

Saiba mais sobre o cansaço mental e como se posicionar:

O que é cansaço mental?

O cansaço mental se trata de um estágio de fadiga cerebral que ocorre quando o cérebro não é mais capaz de armazenar informações. Alguns dos sintomas do cansaço mental são a insônia, a falta de concentração e a baixa memória.

O cansaço mental também atinge o físico, sendo percebido em sintomas como gastrite, hipertensão e dores corporais.

Além disso, o cansaço mental pode ser o estágio inicial do Burnout, que é caracterizado por desmaios, perda de memória temporária e fadiga física.

Logo, se trata de um problema grave que não deve ser subestimado. O cérebro consumo 20% da energia do corpo, fazendo com que essa complicação tome proporções ainda maiores.

Causas e sintomas

A causa principal do cansaço mental é a realização de atividades em excesso, fazendo com que energia em excesso seja gasta por todo o corpo, inclusive o cérebro. Entretanto, distúrbios como a ansiedade e a depressão também podem influenciá-lo.

A lista de sintomas mais comuns do cansaço mental também inclui: sonolência, insônia, alterações do humor, irritabilidade, angústia e desalento.

Cansaço mental e esgotamento

O conjunto de preocupações e informações que levam ao cansaço mental, quando tomam ainda mais espaço, danificam ainda mais a saúde mental e levam ao esgotamento.

O esgotamento, por sua vez, pode atingir não só os adultos com a sua rotina de trabalho lotada, mas também jovens e crianças.

A pressão, o excesso de cobranças, e a ausência de tempo para descanso podem ser a linha tênue entre esses dois problemas.

Com isso, o desânimo, a condicionamento e desempenho para a realização das atividades cotidianas decai bastante e faz com que o organismo passe a exigir ainda mais energia.

Os sinais do esgotamento

Quando o corpo atinge o seu limite, os sinais começam a ser perceptíveis. Além de resultados desagradáveis, a perda do prazer e o desgaste até mesmo na realização de ações que fazem parte de seu gosto.

Para evitar o colapso total, o corpo ainda manda outros sinais, como a perda do empenho e da vontade em coisas que antes faziam parte de momentos de descontração e lazer, e sintomas que encaixam na incidência de depressão e ansiedade. Dentre outros sinais estão: dores corporais, dores de cabeça, irritabilidade, distúrbios do sono e problemas na memória e na manutenção do foco.

Formas de tratamento

Para evitar a incidência do cansaço mental e esgotamento, é necessário que se preze pelo equilíbrio da rotina. Não exagerar em atividades que exigem muita energia do intelecto é um bom começo.

O cérebro deve sim ser exercitado, no entanto, assim como a prática de atividade física não deve ultrapassar os limites do organismo, levando em conta o seu condicionamento do momento.

Com isso, manter momentos de lazer na rotina e ter uma boa noite de sono são as melhores ações preventivas e as melhores formas de tratamento nesse caso. É prezando pelo seu bem-estar e pela sua saúde mental que se encontra o equilíbrio, não só da mente, mas da vida.

Ajuda psicológica

A intervenção e o acompanhamento por um psicólogo, ou por um psiquiatra; em casos mais graves como o de Burnout, não devem ser deixados de lado, já que é somente por meio da ajuda profissional que se sabe a condição real da mente.

Ao contrário do que muitos pensam, a visita a clínica de psicologia, assim como as ao médico, devem ser feitas também como forma preventiva, e buscando o autoconhecimento, a autoconfiança e a autoestima necessária para a saúde mental cotidiana.

Logo, mesmo que não haja a presença dos sintomas de cansaço mental e esgotamento, procure por um profissional e assim como a saúde física, procure pelo equilíbrio e o bom estado de sua mente.